Com as eleições municipais já batendo às portas dos eleitores, afinal, restam apenas seis meses e cinco dias para que eles se dirijam até as urnas para exercer seu papel de cidadão e elejam novos prefeitos e vereadores, ou reconduzir os que já estão, no caso, nas cidades em que os prefeitos estão com o direito da reeleição, figurinhas carimbadas começam a aparecer com o intuito de angariar votos e, assim, chegar ao posto almejado nas muitas cidades brasileiras. Ex-prefeitos, ex-vereadores e personagens das políticas locais irão buscar, manter ou tentar reconquistar seu lugar ao sol.

Na cidade de Axixá do Tocantins não seria diferente e essas figuras conhecidas do eleitorado começam a colocar a cabeça para fora, como um urso acordando de sua hibernação com uma fome voraz. São estes que podem ser os atores principais da festa da democracia que a cada dois anos acontece, e que na maioria das vezes a euforia de 45 dias dá lugar a uma tristeza que pode perdurar por quatro anos. Claro que há fatores que devem ser posto na mesa e explicam o parco desempenho do eleitos ao sentar na cadeira, principalmente e especialmente do executivo. Há aqueles que até têm boa vontade de trabalhar, mas se encontram engessados pelas amarras de uma gestão que o antecedeu e que, com muita irresponsabilidade, mergulhou o município em dívidas e situações em que se levam tempo para desenrolar. Mas o eleitor comum não entende isso, e a culpa do recai sobre quem está no comando atualmente.

Destes personagens da política axixaense quero destacar três que podem ser possíveis candidatos à prefeito nas próximas eleições: Damião Castro (atual prefeito); Auri-Wulange (ex-prefeito); e Negão do Cinda (vereador). Vou tentar traçar o perfil de cada um e rei começar pelo ex-prefeito Auri.

Auri-Wulange Ribeiro Jorge

Prefeito na cidade de Axixá na gestão 2013/2016, e mesmo com suas contas reprovadas pela Câmara Municipal insiste em dizer que é candidato. Auri se destacou principalmente pelas grandes festas que organizou no município, inclusive, trazendo um dos shows mais caros do Brasil, o cantor de forró Wesley Safadão. Há alguns que viam isso apenas como uma forma que Auri havia encontrado para distrair o povo e tirar a atenção das mazelas que ocorria no município, o famoso pão e circo. Quem pensava isso estava correto? Provavelmente não, pois Auri concorreu à reeleição e foi derrotado, o que significa que os grandes shows não conseguiram tirar a atenção do povo para o caos em que estava a cidade.

Os grandes shows melhoram a economia do munícipio? Dados oficiais e não oficiais (basta olhar na cidade em que deixou ao sair da prefeitura) dizem que não. A cidade começou sua gestão e terminou ela com um dos piores IDH da região. E, apesar de ter emendas parlamentares pelo meio, os shows promovidos na cidade pela gestão dele não tinha como não ter um pouco de investimento do munícipio, o que pode ter gerado dívidas para a próxima gestão bater a cabeça.

Agora ele novamente surge como o “candidato que irá salvar Axixá”, a julgar pela última eleição o axixaense parece não ver em Auri esses traços messiânicos que possam trazer redenção ao município, pois já o rejeitaram nas urnas uma vez.

Damião Castro

Eleito em 2016, Castro encontrou dificuldade em seus dois primeiros anos de mandato, o que gerou contra ele uma rejeição altíssima. Suceder uma gestão adversária nunca foi fácil. O antecessor muitas vezes deixa algumas amarras para travar a gestão que o sucede. Essa artimanha é utilizada no intuito de travar a gestão de seu sucessor e, com isso, surgir na próxima eleição como o salvador da pátria. Coisas da política. Pode ser que Castro tenha sido vítima dessa artimanha política, uma vez que os gastos desnecessários da gestão passada, como aquele lago, que foi construído como uma outra forma de distrair a população, e outras obras sem necessidade, podem ter elevado os índices da dívida do município às alturas, travando assim a gestão atual. Não estou afirmando que isso tenha acontecido, são apenas suposições, e não quero aqui fazer uma defesa ao atual prefeito, mas colocar situações que possam explicar os dois primeiros anos ruins dele. Não se pode aqui tirar a responsabilidade de Castro, mas também não podemos atribuir todo o mal que há na cidade à ele. Dai à César o que é de César.

Negão do Cinda

O vereador Negão do Cinda poderá tentar a cadeira do executivo nas próximas eleições e seguir os passos de seu pai, Cinda, que foi prefeito na cidade na década de 80. Os mais antigos e os estudiosos da política local têm ciência de como foi a gestão de Cinda, pai de Negão que também pretende chegar ao mais alto cargo político na cidade. A pré-candidatura de Negão do Cinda é um emaranhado. Com indicações na gestão de Castro, e ter ajudado a rejeitar as contas de Auri votando favorável, o que os aliados do prefeito mais queriam, Negão acaba por ser, querendo ou não, aliado de Castro, e gerando dúvidas quanto a originalidade dessa intenção em ser candidato.

Já houve conversas, pelo estreito relacionamento político com Castro, de que Negão do Cinda teria uma candidatura laranja, dividindo os votos da oposição que tem como maior expoente Auri-Wulange, retirando votos do ex-gestor e, assim, reconduzido Castro ao cargo. São apenas especulações, mas que ganham força nas rodas de conversa em Axixá. Se Negão irá mesmo disputar a prefeitura pra valer, só saberemos após as convenções e com o inicio das campanhas nas ruas. Esperemos os próximos capítulos.

Comentários do Facebook