Cinthia Ribeiro (PSDB) Prefeita de Palmas - Foto: Divulgação

Após declarar Estado de Calamidade Pública no município de Palmas por causa do Coronavírus, a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) cancelou os contratos de trabalho de cerca de 40 servidores da Secretaria Municipal da Educação que ocupavam os cargos de monitor de desenvolvimento infantil, agente administrativo educacional, professor nível I e professor nível II. A exoneração em massa na educação palmense foi confirmada por meio da portaria nº 236, no Diário Oficial do Município desta terça-feira (24).

Além de servidores da Educação, a prefeitura também exonerou funcionários do Instituto Municipal de Planejamento Urbano, Secretaria Municipal de Transparência e Controle Interno, Secretaria de Desenvolvimento Social, Secretaria de Desenvolvimento econômico, Fundação Cultural de Palmas, Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Humano e outros.

Em um momento crucial de atenção à saúde e bem-estar da população, com pedidos para que os cidadãos permaneçam em casa e decretos que ordenam o fechamento de lojas e comércios, a situação financeira se torna um fator de muita preocupação para estes pais e mães de famílias que foram demitidos de maneira covarde e sem explicação.

Parlamentares do município questionam a medida adotada pela prefeita Cinthia Ribeiro e pedem explicações sobre as exonerações dos servidores. Em vídeo, o vereador Milton Neris (PDT) afirma que estes profissionais estavam momentaneamente em casa por força dos protocolos e decretos das autoridades, mas que agora passarão por dificuldades financeiras. “Prefeita, você acha correto gastar quase 1 milhão de reais com agencia de publicidade, e agora mandar embora pessoas humildes e trabalhadoras? Tantas pessoas passando fome e você não se preocupou até agora”, disse o vereador.

Outro lado

A Agência Tocantins solicitou um posicionamento da Prefeitura de Palmas e do Sindicato que representa a categoria sobre as exonerações, mas até a publicação dessa reportagem nossos questionamentos não haviam sido respondidos.

 

Comentários do Facebook