Câmara de Palmas - Foto: Divulgação
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 12, foram realizadas muitas reclamações destinadas a empresa BRK Ambiental sobre as manchas verdes que surgiram no Ribeirão Taquaruçu, em Palmas.

 

O vereador Moisemar Marinho (PDT), cobrou ações para resolução dos problemas ambientais. “A BRK está fazendo um estrago no meio ambiente do povo de Palmas. O Ribeirão Taquaruçu está virando o Rio Tietê. É um absurdo. A empresa joga esgoto sem tratamento algum e ninguém faz nada. A BRK faz um estrago grande e não acontece nada. Cadê os órgãos de fiscalização”, questionou o parlamentar.

 

Falando sobre os órgãos de fiscalização que devem agir em casos como esse, o vereador Jucelino Rodrigues (PTC), afirmou que os órgãos fiscalizadores como Ibama e Naturatins estão sendo omissos. “Se fosse um pai de família a atitude era diferente. Por cima é possível ver as manchas e a poluição. Para a empresa é muito fácil, não faz tratamento mas cobra por isso. Quando doer no bolso deles, aí vão agir. Os moradores não podem pagar o preço”, disse.

 

Já o vereador Diogo Fernandes (PSD) concordou com os pares e também falou sobre o problema. “O culpado não é apenas a BRK, apesar de ignorar todas as atitudes do nosso parlamento, mas não podemos deixar de cobrar a postura dos órgãos fiscalizadores. Olha o tamanho do dano ambiental, precisa multar”, ressaltou o vereador.

 

De acordo com o presidente da Casa de Leis, vereador Marilon Barbosa (PSB), a casa tomará medidas contra a empresa BRK Ambiental. “Nós sabemos que a BRK é uma empresa de grande porte, mas não entendemos, falando pela população palmense, o porquê de tanta poluição, no caso do lago, dos córregos, do ribeirão, que é também a fonte de sobrevivência para muitas pessoas. Nós iremos entrar com medidas para investigar essa responsabilidade”, afirmou Marilon.

Comentários do Facebook